quarta-feira, abril 17, 2024
29.3 C
Manaus
InícioGeralSaúdeRJ registra caso de febre oropouche em morador que visitou AM

RJ registra caso de febre oropouche em morador que visitou AM

Publicado em

Publicidade

Na tarde desta quinta-feira (29), a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES-RJ) confirmou o primeiro caso de febre Oropouche no estado. O paciente, um homem de 42 anos residente na zona sul da cidade do Rio de Janeiro, teve o diagnóstico confirmado por meio de exame laboratorial realizado pelo Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Caso “importado”

O quadro de febre oropouche é considerado um caso importado, uma vez que o paciente possui histórico de viagem para o Amazonas, onde a doença tem apresentado aumento nos índices de transmissão nos últimos meses. O resultado do exame foi divulgado pela SES-RJ, que assegura que o paciente não precisou ser internado e está apresentando boa evolução clínica.

Febre oropouche

A febre oropouche é causada por um arbovírus, não possuindo tratamento específico. A recomendação médica é repouso e acompanhamento constante. Para aliviar os sintomas, que são semelhantes aos da dengue, podem ser prescritos analgésicos e antitérmicos comuns.

Os sintomas, que duram entre dois e sete dias, incluem febre, dor de cabeça, dor nas costas e nas articulações, podendo também ocorrer tontura, dor atrás dos olhos, erupções cutâneas, náuseas e vômitos. Em alguns casos, há ocorrência de encefalite.

Transmissor da doença

Diferentemente da dengue, a transmissão da febre oropouche não se dá pela picada do Aedes aegypti, mas por outros mosquitos, especialmente o Culicoides paraensis, conhecido como maruim.

Estes mosquitos proliferam em ambientes úmidos durante períodos de calor, não se limitando a áreas rurais, mas estendendo-se a ambientes urbanos com presença de água e matéria orgânica, como hortas, jardins e árvores. Além disso, o Culex quinquefasciatus, conhecido como pernilongo, também pode atuar como vetor.

Febre oropouche na Amazônia

No Brasil, a febre oropouche tem sido registrada na região amazônica desde a década de 1970. O estado do Amazonas tem apresentado surtos expressivos, com 1.674 casos confirmados laboratorialmente nos dois primeiros meses de 2024, superando o total registrado no ano anterior, que foi de 995 casos. Outros estados, como Acre e Rondônia, também têm registrado surtos.

Recentemente, o Ministério da Saúde e a Fiocruz promoveram a 1ª Oficina para Discussão das Ações de Vigilância, Assistência e Pesquisa em Febre do Oropouche, em Manaus, com o intuito de desenvolver estratégias de investigação e estabelecer critérios para diagnóstico e acompanhamento clínico da doença. A Fiocruz alerta para a possibilidade de expansão da febre oropouche pelo país, enquanto a SES-RJ descarta, até o momento, a circulação do vírus no estado.

*Com informações da Agência Brasil

Leia mais:
Explicando: febre Oropouche

AM tem alta de febre oropouche em meio a dengue e Covid

Siga nosso perfil no Instagram e curta nossa página no Facebook

Últimas Notícias

Mais de 200 habilitações do projeto CNH Social são entregues

Até final do segundo ciclo, 80 mil pessoas serão beneficiadas com o projeto que...

Hemoam reforma e amplia farmácia hospitalar

Houve também a reestruturação da Central de Abastecimento e implantação de assistência ao hemofílico A...

Justiça suspende votação de empréstimo pela CMM

A Justiça do Amazonas proibiu a Câmara Municipal de Manaus (CMM) de votar o...

Irã X Israel: entenda o contexto do conflito

No último sábado (13), implodiu no Oriente Médio mais um conflito entre os países...

Mais como este

Mais de 200 habilitações do projeto CNH Social são entregues

Até final do segundo ciclo, 80 mil pessoas serão beneficiadas com o projeto que...

Hemoam reforma e amplia farmácia hospitalar

Houve também a reestruturação da Central de Abastecimento e implantação de assistência ao hemofílico A...

Justiça suspende votação de empréstimo pela CMM

A Justiça do Amazonas proibiu a Câmara Municipal de Manaus (CMM) de votar o...