quarta-feira, junho 19, 2024
28.3 C
Manaus
InícioExplicandoCastração química voluntária para estupradores é aprovada no Senado

Castração química voluntária para estupradores é aprovada no Senado

Publicado em

Publicidade
O PL 3.127/2019 trata da castração química, ou tratamento hormonal de redução de libido, para condenados por crimes sexuais em troca a liberdade condicional. De autoria do senador Styvenson Valentin (Podemos-RN), o projeto de lei foi aprovado no Senado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na última quarta feira (22) em fase terminativa, o que significa que não passa pelo Plenário do Senado. No entanto, a aprovação não foi unânime, o texto recebeu 17 votos a favor e 3 votos contrários e agora segue para deliberação na Câmara dos Deputados.
De acordo com o projeto de lei, “o condenado que apresente um perfil voltado à violência sexual terá a oportunidade de reconhecer sua condição e optar pelo tratamento hormonal como forma de intervenção terapêutica e condição para seu livramento”. O texto original previa ainda a castração física, mas esta foi retirada por ser considerada inconstitucional.
A possibilidade da castração química voluntária será oferecida aos reincidentes nos crimes de estupro, violação sexual mediante fraude e estupro de vulnerável.
“Essa é uma opção para a diminuição do número altíssimo de crimes de violência sexual no nosso país. Não é nada ofensivo porque é opcional. O criminoso reincidente, pela mesma prática, que passou pela prisão, não foi corrigido, volta para a sociedade diversas vezes, cometendo o mesmo crime, será submetido a um tipo de tratamento que, se analisarmos pelo inverso, se fosse feito um tratamento hormonal masculino, a pessoa ficaria mais violenta, mais excitada, então estaremos fazendo o contrário”, explicou Valentim.

Como funciona a castração química

A discussão sobre a relevância da medida de castração química está na eficiência do tratamento hormonal que tem como objetivo inibir tanto a libido quanto a agressividade e impulsividade. Ao tratar a questão dos crimes violência sexual como uma questão hormonal, existe uma redução da problemática que parece envolver outros componentes como o psicológico.
O método da castração química consiste em dois procedimentos: um inibe a testosterona a longo prazo e o segundo estimula, em curto prazo, altos níveis de produção hormonal para enganar o corpo. O segundo procedimento leva o metabolismo a entender que há uma produção excessiva de testosterona, impedindo a produção natural do hormônio. O tratamento leva de uma a duas semanas para fazer efeito e é transitório, pode passar após alguns meses.

Medida já foi discutida em 2013

Essa não é a primeira vez que o método de castração química é proposto, o ex-presidente Jair Bolsonaro já havia enviado uma proposta para a Câmara dos Deputados em 2013, que foi vetada.

Últimas Notícias

Visitação de carros e motos em leilão pelo Detran-AM começa hoje (19)

O Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) começa nesta quarta-feira (19/06) a visitação...

Câmara terá comissão para discussão da PL do aborto, diz Lira

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), informou nesta terça-feira (18) que...

Saneamento em Manaus: tratar o efeito mitiga a consequência, mas não ataca a causa

No último relatório do Instituto Trata Brasil, divulgado este ano, Manaus se destacou negativamente,...

Lula diz que poderá ser candidato para evitar que “trogloditas” voltem ao poder

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira que poderá se candidatar...

Mais como este

Visitação de carros e motos em leilão pelo Detran-AM começa hoje (19)

O Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) começa nesta quarta-feira (19/06) a visitação...

Câmara terá comissão para discussão da PL do aborto, diz Lira

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), informou nesta terça-feira (18) que...

Saneamento em Manaus: tratar o efeito mitiga a consequência, mas não ataca a causa

No último relatório do Instituto Trata Brasil, divulgado este ano, Manaus se destacou negativamente,...