quinta-feira, julho 25, 2024
30.3 C
Manaus
InícioGeralSociedadeCheia 2023: Amazonas tem 14 municípios em situação de alerta

Cheia 2023: Amazonas tem 14 municípios em situação de alerta

Publicado em

Publicidade

A situação de alerta aponta a possibilidade elevada de ocorrência de inundações

O Amazonas tem 14 municípios em situação de alerta por conta da cheia dos rios, de acordo com relatório mais recente da Defesa Civil, divulgado na terça-feira (02). Boca do Acre é a única cidade que apresenta situação de emergência.

O acompanhamento da Defesa Civil, que é feito diariamente, tem três classificações:

  1. atenção: indica possibilidade moderada de ocorrência de inundação;
  2. alerta: aponta a possibilidade elevada de ocorrência de inundações;
  3. emergência: corresponde à cota em que o primeiro dano é observado no município.

Em situação de alerta estão os municípios:

  • Calha do Juruá – Guajará, Ipixuna, Envira, Itamarati, Eirunepé, Carauari e Juruá.
  • Calha do Purus – Pauini, Lábrea e Canutama.
  • Calha do Madeira – Borba e Nova Olinda do Norte.
  • Calha do Médio Solimões – Jutaí e Fonte Boa.

Para a Defesa Civil, essa classificação tem como finalidade alertar sobre um perigo ou risco a curto prazo. Nesses locais, o órgão faz o monitoramento em tempo real, por meio das estações que medem quantidade de chuva e o nível do rio.

Além dos 14 municípios em situação de emergência, o Amazonas também tem 44 municípios em situação de atenção e, por enquanto, apenas 1 em situação de emergência.

Em situação de atenção: 

  • Calha do Purus – Tapauá e Beruri.
  • Calha do Madeira – Humaitá, Apuí, Manicoré, Novo Aripuanã.
  • Calha do Alto Solimões – Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, São Paulo de Olivença, Amaturá, Santo Antônio do Iça e Tonantins.
  • Calha do Médio Solimões – Japurá, Maraã, Uarini, Alvarães, Tefé e Coari.
  • Calha do Baixo Solimões – Codajás, Anori, Anamã, Caapiranga, Manacapuru, Iranduba, Manaquiri, Careiro Castanho e Careiro da Várzea.
  • Calha do Médio Amazonas – Itacoatiara, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Silves, Autazes, Urucurituba e Itapiranga.
  • Calha do Baixo Amazonas – Barreirinha, Boa Vista do Ramos, Nhamundá, Urucará, São Sebastião do Uatumã, Parintins e Maués.
  • Calha do Rio Negro – Novo Airão e Manaus.

Neste caso, a classificação é utilizada quando há risco de um evento meteorológico ou hidrológico significativo e que seja imprevisível, como a cheia. Para essas regiões, a Defesa Civil formula um plano de ação para a ameaça.

Em situação de emergência:

  • Calha do Purus – Boca do Acre.

Até o momento, a única cidade que apresenta situação de emergência é Boca do Acre, que foi decretado no dia 4 de abril, devido às cheias dos rios Acre e Purus, que afetam mais de 500 famílias. Com este decreto, a Prefeitura poderá construir abrigos e contratar serviços, além da logística em caráter emergencial, sem a obrigação de licitação.

A maior enchente registrada em Boca do Acre ocorreu no dia 21 de março de 1997, quando a cota atingiu a marca de 21,04 m. A estação de referência para a região da calha do Purus registrou que no dia 27 de abril, o nível do rio atingiu 13,60 m, faltando 7,44 m para atingir a cota de referência, enquadrando a região em Status de Emergência.

Áreas de risco 

A Defesa Civil do Estado já disponibilizou o mapa para a consulta de áreas de risco identificadas em todo o estado pelo Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM). O mapa está disponível no site da Defesa Civil (defesacivil.am.gov.br), incluindo tutorial e vídeo demonstrativo sobre a utilização do programa.

É recomendável que a população busque informações sobre as medidas de segurança e prevenção, bem como sobre as instituições e órgãos que atuam na gestão de riscos em sua região, a fim de se prepararem para eventuais emergências.

No site da Defesa Civil também é possível acessar o menu CEMOA, onde há orientações sobre como agir antes, durante e depois de diferentes tipos de desastres.

Além disso, é importante manter-se informado sobre as condições do tempo e os riscos associados à região em que se encontra. As medidas de prevenção e segurança podem ajudar a reduzir os impactos de desastres naturais, e preservar a vida e o patrimônio da população.

Leia mais:
Defesa Civil dá recomendações para chuvas intensas no AM
Mapeamento identifica áreas de riscos de desastres no Amazonas

Últimas Notícias

Idam capacita mais de 100 piscicultores em Novo Airão

Dia de Campo oferece novas tecnologias e metodologias para piscicultura Mais de 100 piscicultores participaram...

Indígenas de São Gabriel da Cachoeira participam de oficinas

Cerca de 100 artesãos e produtores indígenas participaram do evento De 1 a 4 de...

Cetam preenche mais de 6 mil vagas para cursos gratuitos

Inscrições online foram realizadas nos dias 22 e 23 de julho O Centro de Educação...

Apostador de Manaus ganha sozinho o prêmio de R$250 milhões da +Milionária

Uma aposta única feita em Manaus acertou as seis dezenas e os dois trevos...

Mais como este

Idam capacita mais de 100 piscicultores em Novo Airão

Dia de Campo oferece novas tecnologias e metodologias para piscicultura Mais de 100 piscicultores participaram...

Indígenas de São Gabriel da Cachoeira participam de oficinas

Cerca de 100 artesãos e produtores indígenas participaram do evento De 1 a 4 de...

Cetam preenche mais de 6 mil vagas para cursos gratuitos

Inscrições online foram realizadas nos dias 22 e 23 de julho O Centro de Educação...