quinta-feira, fevereiro 29, 2024
29.3 C
Manaus
InícioAmazôniaPresidente da Funai afirma que caso Bruno e Dom expõe insegurança aos...

Presidente da Funai afirma que caso Bruno e Dom expõe insegurança aos indígenas

Publicado em

Publicidade

Em entrevista à Agência Brasil, a Presidenta da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), Joenia Wapichana, afirmou que o assassinato do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips, em junho de 2022, expôs um problema histórico para os indígenas da Amazônia: a falta de proteção dos territórios e dos povos originários da região.“O que me pergunto é: será que o caso teria toda esta repercussão se não houvesse um jornalista estrangeiro entre as vítimas?”, disse Joenia ao comentar sobre o duplo homicídio que completa um ano nesta segunda-feira (5).

“Temos vários casos envolvendo [agressões de todos os tipo contra] os povos indígenas e que, geralmente, recebem pouca divulgação”, acrescentou a presidenta da Funai, afirmando que, de forma geral, a sociedade brasileira recebe “pouca informação quanto à seriedade do que se passa na região” amazônica.

Segundo o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), organização vinculada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dos 176 assassinatos de indígenas identificados no Brasil, em 2021, ao menos 99 foram registrados em estados da Amazônia, encabeçados pelo Amazonas, onde foram contabilizadas ao menos 38 ocorrências.

Memória

Dom e Bruno foram vistos ainda com vida, pela última vez, no dia 5 de junho de 2022, quando visitavam comunidades ribeirinhas do entorno da Terra Indígena Vale do Javari, próximas à Atalaia do Norte (AM). Correspondente do jornal The Guardian, o jornalista inglês estava percorrendo a região entrevistando lideranças comunitárias e outros personagens para um futuro livro-reportagem sobre a preservação da floresta amazônica.

Já Bruno coordenava reuniões com comunidades atendidas pela União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), organização não governamental para a qual trabalhava desde que se licenciou da Funai, em fevereiro de 2020, poucos meses após ser dispensado do cargo de coordenador-geral de Indígenas Isolados e de Recente Contato. Pessoas próximas alegam que a insatisfação de Bruno com os rumos que a equipe de governo do então presidente Jair Bolsonaro impunha à política indigenista foi decisiva para que ele pedisse licença alegando precisar tratar de assuntos pessoais. Ao passar a atuar nos projetos de autoproteção comunitária da Univaja, Bruno recebeu novas ameaças de morte – algo com que já convivia no serviço público e que informou às autoridades.

A presidenta da Funai admite que, apesar das ações implementadas após os assassinatos de Bruno e Dom, como o envio de policiais da Força Nacional de Segurança Pública, a região ainda sofre com a falta de efetivo para patrulhar uma área tão vasta quanto a da segunda maior terra indígena do país, com cerca de 8,4 milhões de hectares (cada hectare corresponde, aproximadamente, às medidas de um campo de futebol oficial).

Mais informações

Leia mais:
Justiça retoma depoimentos de testemunhas no caso Dom e Bruno nesta terça
Audiências para júri popular de assassinos de Dom e Bruno começam nesta segunda (20)
Acusados de matar Bruno e Dom alegam legítima defesa, diz advogado


Últimas Notícias

Alckmin virá a Manaus em reunião do aniversário da Suframa

O ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, bem como vice-presidente da República, Geraldo...

Garantido descarta ficar sem Isabelle de cunhã poranga no festival

O presidente do Boi-Bumbá Garantido, Fred Góes, assegura que Isabelle Nogueira, atual participante do...

Operação Pirâmide de Ouro prende pai e filhos

Na manhã desta quarta-feira (28/2), a Polícia Federal (PF) e a Receita Federal desencadearam...

AGU quer anular lei que proíbe crianças na Parada LGBT+ no AM

Na terça-feira (27), a Advocacia-Geral da União (AGU) encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF)...

Mais como este

Alckmin virá a Manaus em reunião do aniversário da Suframa

O ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, bem como vice-presidente da República, Geraldo...

Garantido descarta ficar sem Isabelle de cunhã poranga no festival

O presidente do Boi-Bumbá Garantido, Fred Góes, assegura que Isabelle Nogueira, atual participante do...

Operação Pirâmide de Ouro prende pai e filhos

Na manhã desta quarta-feira (28/2), a Polícia Federal (PF) e a Receita Federal desencadearam...