quinta-feira, maio 30, 2024
25.3 C
Manaus
InícioGeralSaúdeRabdomiólise: Amazonas registra 69 casos sem óbitos

Rabdomiólise: Amazonas registra 69 casos sem óbitos

Publicado em

Publicidade

Segundo informações do último Informe Epidemiológico semanal da FVS-RCP, o estado do Amazonas registrou 69 casos de rabdomiólise. Destes identificados, 34 compatíveis com a Doença de Haff. A doença foi encontrada em diversas cidades do Amazonas, incluindo Itacoatiara, Manaus e Parintins. Até o momento não foram registrados óbitos relacionados à doença.

Doença de Haff

A Doença de Haff é uma condição rara e misteriosa que afeta os músculos e pode ser desencadeada pelo consumo de determinados tipos de peixes, em especial, os de água doce. A Doença de Haff pode ser grave e é caracterizada por uma rápida degradação muscular conhecida como rabdomiólise.

Rabdmiólise

A rabdomiólise é uma doença caracterizada pela destruição das fibras musculares. Conforme os tecidos musculares são acometidos, diferentes substâncias são liberadas na corrente sanguínea, afetando rins e sistema urinário, causando mais sintomas para o indivíduo.

Os principais sintomas da Doença de Haff incluem:

1. Dor muscular intensa (mialgia), frequentemente acompanhada de rigidez muscular.

2. Fraqueza muscular.

3. Dor abdominal.

4. Náuseas.

5. Vômitos.

6. Urina escura (cor de coca-cola) devido à liberação de mioglobina, uma proteína muscular, na corrente sanguínea.

Toxina encontrada em peixes

No Brasil, casos da doença têm sido associados ao consumo de peixes como o tambaqui e a pirapitinga. A toxina ou substância responsável por desencadear a doença não foi identificada com precisão, o que torna a Doença de Haff um enigma médico.

Em caso de suspeita, o que fazer?

Devido à gravidade da rabdomiólise associada à Doença de Haff, é fundamental procurar assistência médica imediatamente se alguém apresentar os sintomas mencionados após o consumo de peixes de água doce.

O tratamento geralmente envolve a administração de líquidos intravenosos e monitoramento médico para evitar complicações graves, como insuficiência renal.

É importante ressaltar que a Doença de Haff é rara, e a grande maioria das pessoas que consome peixes não desenvolve essa condição. No entanto, quando ocorrem surtos da doença, é essencial que as autoridades de saúde pública investiguem as causas e tomem medidas para proteger a população.

A FVS-RCP está investigando outros casos suspeitos em colaboração com as equipes municipais de Vigilância Epidemiológica. É importante buscar assistência médica em caso de suspeita da doença.

Leia mais:
O pirarucu pode sumir da mesa dos amazonenses?
Seca causou morte de peixes em igarapé em Iranduba
Pesquisa revela presença de plástico no trato gastrointestinal de peixes amazônicos

Siga nosso perfil no Instagram e curta nossa página no Facebook

Últimas Notícias

Prefeitura convoca quatro profissionais aprovados em concurso

Visando suprir as necessidades permanentes de serviço e assegurar a prestação da assistência básica...

Prontos-socorros de Manaus funcionarão normalmente durante o feriado

A Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM) anunciou que as 25 unidades...

Entenda por que Lula retirou o embaixador brasileiro de Israel

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva transferiu o embaixador Frederico Meyer de Israel...

MPF dá 15 dias para Starlink explicar antenas em áreas de garimpo no AM

Um inquérito civil foi aberto pelo Ministério Público Federal (MPF) e publicado nesta terça-feira...

Mais como este

Prefeitura convoca quatro profissionais aprovados em concurso

Visando suprir as necessidades permanentes de serviço e assegurar a prestação da assistência básica...

Prontos-socorros de Manaus funcionarão normalmente durante o feriado

A Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM) anunciou que as 25 unidades...

Entenda por que Lula retirou o embaixador brasileiro de Israel

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva transferiu o embaixador Frederico Meyer de Israel...