sábado, março 2, 2024
24.3 C
Manaus
InícioAmazôniaPovos Indígenas preservam a Amazônia, comprova estudo

Povos Indígenas preservam a Amazônia, comprova estudo

Publicado em

Publicidade

A relação entre o impacto da presença dos povos indígenas e os aspectos socioculturais do manejo de paisagens inerentes à sua relação com a Amazônia foram tema da pesquisa de Juliano Franco-Moraes. A tese levou o Prêmio CAPES de Tese de 2023 na área de Biodiversidade com o trabalho “A influência de aspectos socioculturais dos Povos Indígenas na estrutura, diversidade e composição da floresta Amazônica “.

O estudo levou em consideração os diversos padrões ecológicos que são influenciados pelo manejo dos povos indígenas dentro da visão de mundo, normas, práticas e conhecimentos dessa comunidade e o modo como a presença deles impacta na preservação e composição do ambiente em que habitam. Em outras palavras, o estudo comprova que a conservação biocultural Amazônia está intrinsicamente ligada ao conhecimento e cultura dos povos indígenas que coexistem com a floresta e a preservam há milhares de anos.

Sabedoria dos povos indígenas é crucial para preservação da Amazônia

A Ecologia Histórica, a Antropologia/Etnografia e a Arqueologia e Linguística foram as principais disciplinas que nortearam a pesquisa de Juliano. Aspectos como as relações entre trasnformações da paisagem e os padrões ecológicos atuais, a relação entre a sociocultura dos povos indígenas e o conhecimento empírico da floresta, e os padrões socioculturais linguísticos e ecológicos tornaram possíveis as conclusões do autor premiado.

“Se quisermos proteger a maior floresta tropical do mundo, temos que considerar a importância crucial da diversidade cultural e linguística ali existente, atentando para as variadas formas de conhecimento, associadas a diferentes línguas e práticas de manejo da paisagem”, adverte o pesquisador.

Entenda o Prêmio CAPES de Tese 2023

Considerado um dos mais prestigiados prêmios da ciência brasileira, a edição 2023 do  Prêmio CAPES de Tese bateu o recorde de inscrições registrado nas dezenove edições anteriores. Foram inscritos 1.469 trabalhos, entre eles, os melhores trabalhos de doutorado defendidos em programas de pós-graduação brasileiros.

Além de Juliano Franco Moraes, outros 49 pesquisadores também foram agraciados com o título em diversas áreas como Medicina, Odontologia, Engenharia, Sociologia, Química, entre outros. Conheça a lista de vencedores que receberão o prêmio em dezembro clicando aqui.

A honraria também inclui bolsas de até um ano para estágio pós-doutoral em instituição nacional, certificado e medalha aos autores vencedores. Os orientadores também recebem prêmio em dinheiro, de até R$3 mil e certificados que também são oferecidos aos coorientadores e aos programas de pós-graduação nos quais as teses foram defendidas.

Siga nosso perfil no Instagram e curta nossa página no Facebook

Últimas Notícias

Confira os shows da Casa Zezinho Corrêa nos dias 2 e 3

A Casa de Praia Zezinho Corrêa, vai receber, neste fim de semana, seis shows...

Entenda a diferença entre os sintomas de dengue e covid-19

Em meio a uma explosão de casos de dengue e o aumento de infecções...

“Alerta Mulher” tem mais de 2,3 mil mulheres cadastradas

Desde a criação, nenhuma mulher cadastrada foi vítima de feminicídio tentado ou consumado Desempenhando um...

Concurso da Caixa: inscrições já começam; veja como participar

A Caixa Econômica Federal iniciou as inscrições para seu novo concurso, disponibilizando mais de...

Mais como este

Confira os shows da Casa Zezinho Corrêa nos dias 2 e 3

A Casa de Praia Zezinho Corrêa, vai receber, neste fim de semana, seis shows...

Entenda a diferença entre os sintomas de dengue e covid-19

Em meio a uma explosão de casos de dengue e o aumento de infecções...

“Alerta Mulher” tem mais de 2,3 mil mulheres cadastradas

Desde a criação, nenhuma mulher cadastrada foi vítima de feminicídio tentado ou consumado Desempenhando um...