domingo, março 3, 2024
25.3 C
Manaus
InícioColunistasEm terra de caciques, novos políticos serão reis?

Em terra de caciques, novos políticos serão reis?

Publicado em

Publicidade

Em 1958, o Brasil, comandado por Garrincha e Pelé (sim, em 58 o nome de garrincha obrigatoriamente vinha em primeiro), conquistava o seu primeiro título mundial, na Suécia. Alguns tantos quilômetros dali, naquele mesmo ano, iniciava um período de caciques no poder no Amazonas. Com o carinho que tenho por Manaus, ouso comparar a longevidade e o culto ao saudoso Gilberto Mestrinho ao de Vossa Majestade, para os Britânicos.

Eleito naquele ano para o seu primeiro mandato como Governador do Amazonas, Gilberto Mestrinho iniciava um modelo de dominância de muito sucesso baseado no populismo e assistencialismo. Voltou ao poder em 1982, após um período de ditadura no país, ajudando a eleger, em 1986, outro grande cacique, Amazonino Mendes. Negão, como é conhecido pelos íntimos (quase 4 milhões de Amazonenses), trouxe um ingrediente a mais para biografia dos caciques políticos: o carisma. Com a linguagem que o povo gosta, suas camisetas coloridas encharcadas de suor trouxeram uma intimidade que faz, até hoje, Amazonino ser considerado parte da família de muitas pessoas.

A partir daí a linhagem de caciques se desenrolou com nomes como Eduardo Braga, Alfredo Nascimento, Omar Aziz e Arthur Virgílio Neto, cada qual com suas peculiaridades, desde ser filho de político, até preparar com todo cuidado tucumã para seus padrinhos políticos.

Dominando por muito tempo o cenário político, o tempo foi passando e um a um foi perdendo a condição que intitula o nosso texto. Gilberto Mestrinho virou saudoso; Amazonino, já com idade avançada, vêm de três derrotas nos últimos pleitos; Eduardo Braga, já não tem mais o poder de antigamente e vai precisar mudar a imagem que não o faz passar de 10% das intenções de votos em Manaus; Arthur, também com uma idade avançada, é assombrado por problemas familiares que praticamente enterraram sua vida política; e Omar Aziz, mesmo com a recente vitória sobre Coronel Menezes, luta contra uma rejeição alta, principalmente na capital.

Fica a questão: teremos novos políticos que ocuparão esses postos? Se sim, quem seriam eles?

Me arrisco a dizer alguns nomes. Antes disso, é importante lembrar que, diferente da nostálgica geração passada de ‘figurões’, que tinha no populismo sua arma central, esses novos descendentes precisam buscar novas estratégias para subir a alcunha de ‘caciques’.

David Almeida, prefeito, ex-governador e exímio corredor, é um nome forte. Com boa aprovação, trabalhador e com o seu jeito carismático, vai depender do caminho até a próxima eleição para ditar o seu futuro.

Roberto Cidade, articulador, é um nome que também desponta como possível força política de longo prazo.

Saullo Vianna, Deputado Federal eleito, tem em sua organização, estratégia, articulação e pacificação, boas qualidades que podem torná-lo uma potência política.

Um dos deputados federais mais novos do país, Amom Mandel, mesmo com uma benevolência genealógica digna de Rá, Deus do Sol, virou um fenômeno de marketing, estratégia e votos. Dependendo de sua atuação na câmara dos deputados, pode virar o Rei dos Deuses no Amazonas.

Wilson Lima, governador reeleito, reúne algumas características que o despontam como grande favorito a ocupar esse tão almejado posto; é jovem, comunicativo, sereno e ao longo dos anos, se tornou extremamente articulador. Soma-se a isso, o fato de Wilson ter sido um apresentador de sucesso, almoçando todos os dias com os Amazonenses em horário nobre. Na correria do século 21, é mais fácil voltar a amar, quem já amamos um dia.

Além dos caciques, está aberta também a vaga de pajé, que foi ocupada por Gilberto Mestrinho na formação, criação e aconselhamento da nova caravana política Amazonense.

Me amparando carinhosamente em Mário Quintana, não pergunte a um autor o que ele quis dizer com isso, um de nós pode ser burro.

Texto por Marcel Valin

Últimas Notícias

“Dia D”: prefeitura de Manaus promove combate a dengue

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), promoveu na manhã...

Paratleta do halterofilismo garante prata no mundial

Maria de Fátima, paratleta de halterofilismo, segue em busca da vaga nas Paraolimpíadas de...

Confira os shows da Casa Zezinho Corrêa nos dias 2 e 3

A Casa de Praia Zezinho Corrêa, vai receber, neste fim de semana, seis shows...

Entenda a diferença entre os sintomas de dengue e covid-19

Em meio a uma explosão de casos de dengue e o aumento de infecções...

Mais como este

“Dia D”: prefeitura de Manaus promove combate a dengue

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), promoveu na manhã...

Paratleta do halterofilismo garante prata no mundial

Maria de Fátima, paratleta de halterofilismo, segue em busca da vaga nas Paraolimpíadas de...

Confira os shows da Casa Zezinho Corrêa nos dias 2 e 3

A Casa de Praia Zezinho Corrêa, vai receber, neste fim de semana, seis shows...