terça-feira, julho 23, 2024
33.3 C
Manaus
InícioAmazôniaMeio AmbienteEmpresas de navegação anunciam taxa de seca; Empresários criticam

Empresas de navegação anunciam taxa de seca; Empresários criticam

Publicado em

Publicidade

Empresas de navegação anunciaram a cobrança de uma tarifa de “pouca água” de até US$ 5,9 mil (cerca de R$ 32,2 mil) por contêiner durante o período de seca dos rios na Amazônia. A medida visa garantir a continuidade do transporte de mercadorias para Manaus, incluindo o uso de balsas em trechos críticos do Rio Amazonas.

Detalhes da cobrança

  • Aliança Navegação e Logística: Menor taxa anunciada, R$ 15 mil por contêiner, a partir de 1º de setembro.
  • MSC: Cobrança de US$ 5 mil (R$ 27,3 mil) por contêiner, a partir de 1º de agosto.
  • Maersk: Maior taxa, US$ 5,9 mil (R$ 32,2 mil) por contêiner, também a partir de 1º de agosto.

Justificativa das empresas

A MSC destacou que a Low Water Surcharge (LWS) é uma cobrança excepcional e temporária, causada por condições extraordinárias de navegação, sendo revisada conforme a gravidade da seca e as condições do calado do Rio Amazonas.

Reações

Críticas de Autoridades e Empresários:

  • Serafim Corrêa, Secretário de Desenvolvimento Econômico: Condenou a cobrança, afirmando que as operadoras de navegação estão se aproveitando da situação para lucrar. Na reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS), ele enfatizou que as tarifas são abusivas.
  • Antônio Silva, Presidente da Fieam: Reforçou as críticas, mencionando que a tarifa está prejudicando os produtores.

Comparação com Anos Anteriores: Serafim Corrêa destacou que, no ano passado, durante uma estiagem severa, a taxa era de US$ 2,1 mil, contrastando com as novas tarifas de US$ 5 mil e US$ 5,9 mil. Ele alertou que, somadas à nova taxa, os custos de frete atingem 40% do valor das mercadorias transportadas, prejudicando a competitividade da Zona Franca de Manaus.

Impacto da Seca

O Rio Amazonas é crucial para o transporte de cargas de Manaus para outros países e para trazer insumos para a produção local. Em outubro, quando o rio atinge níveis mais baixos, grandes navios enfrentam dificuldades para navegar até a capital amazonense. Em 2023, balsas foram utilizadas para evitar o desabastecimento.

Soluções Alternativas

A Aliança Navegação anunciou o uso de balsas para transportar mercadorias dos portos de Barcarena e Itacoatiara para Manaus, utilizando um píer provisório em Itacoatiara para transbordo de cargas, a fim de contornar os trechos assoreados.

*Com informações do Atual

Leia mais:
Estiagem 2024: Amazonas deve decretar emergência em 10 dias
Wilson Lima cobra ações para combate à estiagem e queimadas no AM
Confira as orientações preventivas para minimizar os efeitos da estiagem

Siga nosso perfil no Instagram e curta nossa página no Facebook

Últimas Notícias

PC-AM prende mais duas pessoas por desvio de medicamentos em Manaus

Cerca de três meses depois da deflagração da primeira fase da Operação Corsário, a...

União Europeia fará doação de R$120 milhões ao Fundo Amazônia

Nesta segunda-feira (22), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a...

MEC divulga edital do ‘Enade das Licenciaturas’

O Ministério da Educação (MEC) oficializou procedimentos, regras e cronograma do primeiro Exame Nacional...

Manaus se destaca pela redução de perdas de água

Estudo do Instituto Trata Brasil revela queda de 26 pontos percentuais nos últimos anos Manaus...

Mais como este

PC-AM prende mais duas pessoas por desvio de medicamentos em Manaus

Cerca de três meses depois da deflagração da primeira fase da Operação Corsário, a...

União Europeia fará doação de R$120 milhões ao Fundo Amazônia

Nesta segunda-feira (22), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a...

MEC divulga edital do ‘Enade das Licenciaturas’

O Ministério da Educação (MEC) oficializou procedimentos, regras e cronograma do primeiro Exame Nacional...