terça-feira, julho 23, 2024
33.3 C
Manaus
InícioGeralEconomiaRamos pede queda de portaria que alterou Lei de Informática da ZFM

Ramos pede queda de portaria que alterou Lei de Informática da ZFM

Publicado em

Publicidade

A ação foi protocolada na Suframa e no Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços

O ex-deputado federal Marcelo Ramos (PSD), do Amazonas, pediu a revogação da portaria 9.835/2022 que alterou as regras de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) previstas na Lei 8.387/1991, a Lei de Informática da Zona Franca de Manaus (ZFM).

A ação foi protocolada na Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e no Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços.

De acordo com o ex-parlamentar, que é advogado, a portaria criou “obrigações não previstas na lei e inviabilizando os objetivos da mesma”.

No documento de 38 páginas, do escritório de advocacia Ramos & Almeida, consta que a portaria fere a hierarquia das normas em diversos dispositivos.

O primeiro equivoco conceitual apontado é o que trata sobre o uso dos incentivos fiscais relativos à produção de bens e serviços de tecnologia da informação e comunicação na ZFM, atrelado à realização de investimentos em PD&I.

Isso porque o artigo 9º (atendidos os requisitos estabelecidos no parágrafo 7º do artigo 7º) do decreto-lei 288, de 28 de fevereiro de 1967, que criou a ZFM, já estabelece incentivos fiscais e financeiros para bens e serviços do setor de tecnologias da informação.

“Podemos afirmar, sem sombra de dúvidas, que a fruição dos benefícios previstos na Lei 8.387/1991 não depende da realização de investimentos em PD&I, mas de projeto aprovado pelo Conselho de Administração da Suframa (CAS)”, diz um trecho da peça.

Criando obstáculos

Outro problema relatado é que a portaria criou novos conceitos, produziu novas regras e proibição de investimentos que a lei e o decreto regulamentador da ZFM permitem.

Com isso, admite acesso às informações a pessoas estranhas “ao fluxo processual; não considerando, em sua formatação, os objetivos de criação do modelo de desenvolvimento da ZFM”.

Na conclusão, o escritório alegou que ao criar os critérios de análise, “apesar de uma iniciativa válida para gerar segurança jurídica e previsibilidade, criou-se, na verdade, mais subjetividade na análise e riscos aos investimentos em PD&I que podem, ao final, se tornar custos às empresas beneficiárias”.

Leia mais:
Wilson Lima reforça proteção à Zona Franca de Manaus
Pauderney se encontra com Alckmin para tratar da ZFM
Wilson Lima diz estar preocupado com Zona Franca de Manaus

Mais informações.

Últimas Notícias

PC-AM prende mais duas pessoas por desvio de medicamentos em Manaus

Cerca de três meses depois da deflagração da primeira fase da Operação Corsário, a...

União Europeia fará doação de R$120 milhões ao Fundo Amazônia

Nesta segunda-feira (22), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a...

MEC divulga edital do ‘Enade das Licenciaturas’

O Ministério da Educação (MEC) oficializou procedimentos, regras e cronograma do primeiro Exame Nacional...

Manaus se destaca pela redução de perdas de água

Estudo do Instituto Trata Brasil revela queda de 26 pontos percentuais nos últimos anos Manaus...

Mais como este

PC-AM prende mais duas pessoas por desvio de medicamentos em Manaus

Cerca de três meses depois da deflagração da primeira fase da Operação Corsário, a...

União Europeia fará doação de R$120 milhões ao Fundo Amazônia

Nesta segunda-feira (22), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a...

MEC divulga edital do ‘Enade das Licenciaturas’

O Ministério da Educação (MEC) oficializou procedimentos, regras e cronograma do primeiro Exame Nacional...