sábado, junho 15, 2024
32.3 C
Manaus
InícioExplicandoPorte de drogas para uso pessoal vai ser liberado? Entenda

Porte de drogas para uso pessoal vai ser liberado? Entenda

Publicado em

Publicidade

Em 2023 é possível retornar o julgamento, iniciado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que pode resultar na descriminalização do porte de drogas para consumo pessoal. Com votação iniciada em 2015 e três votos favoráveis a algum tipo de flexibilização, o tema aguarda há oito anos para voltar a ser discutido em plenário. A Corte decidirá se as penas previstas atualmente, serão consideradas inconstitucionais e deixarão de valer.

Entenda 

A votação iniciou em 2015 e teve três votos favoráveis à flexibilização, sendo do relator, Gilmar Mendes, de Edson Fachin e de Luís Roberto Barroso.

A discussão está pautada no artigo 28 da Lei de Drogas (Lei nº11.343/2006), o qual reitera que quem adquirir, guardar, transportar drogas para consumo pessoal será submetido a: advertência sobre os efeitos das drogas; prestação de serviços à comunidade; medida educativa de comparecimento a programa ou curso educativo.

Em seu voto, o relator Gilmar Mendes afirmou que a criminalização estigmatiza o usuário: “O uso privado de drogas é conduta que coloca em risco a pessoa do usuário. Ainda que o usuário adquira as drogas mediante contato com o traficante, não se pode imputar a ele os malefícios coletivos decorrentes da atividade ilícita”, ressaltou.

Já o ministro Edson Fachin votou para descriminalizar apenas a maconha, deixando o Poder Legislativo criar os critérios de diferenciação para usuários e traficantes. “Se o legislador já editou lei para tipificar como crime o tráfico de drogas, compete ao Poder Legislativo definir os parâmetros objetivos de natureza e quantidade de droga que devem ser levados em conta para diferenciação, a priori, entre uso e tráfico de maconha”, afirmou.

Por fim, o ministro Luís Roberto Barroso, seguiu o posicionamento de Edson Fachin, quanto à maconha. Propôs ainda parâmetros de diferenciação, de 25 gramas de maconha – acima disso, seria considerado tráfico.

O julgamento será retomado com o voto do ministro Alexandre de Moraes – que obteve um maior tempo de análise, por assumir a posição de Teori Zavascki, falecido em 2017.

Como começou essa discussão?

O debate entrou em pauta, após um recurso apresentado em 2011, pelo flagrante de um homem que portava 3 gramas de maconha dentro do centro de detenção provisória em Diadema, SP.

Na época, a Defensoria recorreu da decisão judicial de SP, que optou por mantê-lo preso.

Cabe ressaltar que, como esse é um caso de repercussão reconhecida, o entendimento final do STF será utilizado como base para casos similares no país. No entanto, é questionado, internamente, sobre as esferas de definição, isto é, se o STF estabelecerá parâmetros em substituição ao artigo 28 – atividade que compete ao Poder Legislativo.

Descriminalização X Legalização

De acordo com o advogado criminalista, Lucas Guedes, quando há a descriminalização, deixa de ser crime, ou seja, ninguém poderá ser punido pelo estado pelo consumo próprio. Já a legalização é um outro passo que envolve a regulamentação da droga como um todo, desde a fabricação, com fiscalização do poder público, se poderá ter publicidade, onde poderá ser vendido, quem poderá vender, etc.

“Antes de discutir a flexibilização, devemos debater sobre os efeitos da proibição nos países. O consumo e a violência aumentaram com a proibição. Basta observarmos o crescimento do narcotráfico nessas décadas. E isso influencia na sociedade como um todo”, afirma.

O advogado pondera ainda que, as classes com maior poder aquisitivo, já vivem a “descriminalização na prática”, diante disso ele reforça: “Acredito que antes de mais nada, a sociedade precisa ser bem informada com dados científicos e pesquisas sérias (…) Este é o primeiro desafio”.

Outros países

Diversos países possuem o porte e consumo de drogas legalizado, tais como: Portugal, Uruguai, África do Sul, Espanha e alguns estados estadunidenses.

Casos como Argentina e Colômbia, a flexibilização ocorreu por decisão judicial. Já Uruguai e Portugal se deu por meio de novas regras do Legislativo.

Leia mais:
Reforma tributária: o que muda no dia a dia?

Alckmin anuncia R$ 1,6 bilhão em novos investimentos para a ZFM
Wilson Lima destaca prioridades no orçamento de R$ 29,3 bi para 2024

Siga nosso perfil no Instagram e curta nossa página no Facebook

Últimas Notícias

CMM é finalista no Prêmio das Melhores Escolas do Mundo 2024

O Colégio Militar de Manaus (CMM) foi selecionado como um dos finalistas do Prêmio...

Lula aborda aborto e desoneração durante a Cúpula do G7

Em visita ao continente europeu desde quinta-feira (13), onde participou como convidado da Cúpula...

Programação cultural gratuita na Casa de Praia Zezinho Corrêa

A Casa de Praia Zezinho Corrêa, administrada pela Prefeitura de Manaus através da Secretaria...

Operação na Base Arpão 2 leva à maior apreensão de drogas no AM

Apreensão recorde de droga no Amazonas As Forças de Segurança do Amazonas realizaram a maior...

Mais como este

CMM é finalista no Prêmio das Melhores Escolas do Mundo 2024

O Colégio Militar de Manaus (CMM) foi selecionado como um dos finalistas do Prêmio...

Lula aborda aborto e desoneração durante a Cúpula do G7

Em visita ao continente europeu desde quinta-feira (13), onde participou como convidado da Cúpula...

Programação cultural gratuita na Casa de Praia Zezinho Corrêa

A Casa de Praia Zezinho Corrêa, administrada pela Prefeitura de Manaus através da Secretaria...