quarta-feira, julho 24, 2024
26.3 C
Manaus
InícioColunistasCarla BarbosaEconomia e Meio Ambiente conseguem caminhar juntos?

Economia e Meio Ambiente conseguem caminhar juntos?

Publicado em

Publicidade

A mineração é uma atividade econômica importante para o estado do Amazonas, cujo valor extrativo aumentou significativamente nas últimas décadas. No entanto, essa atividade tem levantado questões ambientais e econômicas importantes que precisam ser avaliadas de forma crítica.

Em relação às questões ambientais, a mineração na Amazônia brasileira é frequentemente associada a danos ambientais como desmatamento, poluição do solo e água, perda da biodiversidade e emissões de gases de efeito estufa. Além disso, pode ter impactos negativos na saúde de comunidades locais, como a contaminação por mercúrio e outras substâncias tóxicas.

Do ponto de vista econômico, a mineração pode trazer benefícios significativos para o desenvolvimento local e regional, gerando emprego, renda e investimento em infraestrutura. No entanto, há situações que precisam ser consideradas como a distribuição desigual dos benefícios da mineração, a dependência excessiva em uma única atividade e a falta de diversificação econômica.

São muitos os aspectos prós e contra e o equilíbrio entre as frentes econômica e ambiental, tem sido um enorme desafio. Até por isso, autorizações e aprovações se arrastam por anos na justiça, entre aceites e proibições, como é o caso da exploração de potássio no Amazonas e a pavimentação da BR-319.

Exploração de potássio em terras indígenas

A mineração no Amazonas requer uma avaliação cuidadosa e equilibrada dos impactos ambientais e socioeconômicos. É importante que haja políticas públicas efetivas de controle ambiental e acesso à informação sobre os riscos e benefícios da mineração para as comunidades locais.

Em recente visita ao estado, o ministro Geraldo Alckmin, durante reunião do Conselho Administrativo da Suframa (CAS), citou a exploração de potássio como uma alternativa para turbinar o modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) e atrair “potências” do mercado de fertilizantes.

“Potássio é Amazonas. Potássio é Autazes. Nós vamos trabalhar com empenho pra gente resolver o problema jurídico. Não é possível levar 5 anos para discutir competência, se a competência, se a competência do licenciamento é do Ibama ou do Ipaam. Não é possível. Esse pode ser um dos maiores investimentos  do país, nesta mina de potássio  e o Brasil deixar de importar 98% de potássio”, confirmou Geraldo Alckmin.

Em seu discurso, Alckmin deixou de mencionar, mas o local onde a empresa Potássio do Brasil solicitou a exploração está próximo de duas terras indígenas do povo Mura, Jauary (em demarcação) e Paracuhuba (demarcada), e sobreposto à terra indígena Soares/Urucurituba, área reivindicada pelos Mura desde pelo menos 2003 à Fundação Nacional do Índio (Funai).

A Ministra do Meio Ambiente Marina Silva, que também visitou o estado recentemente, disse que há a necessidade de viabilidade econômica, social e ambiental para que a exploração de potássio possa ser executada: “Quando você tem uma atividade de mineração em terra indígena, não está em conformidade com a Constituição”.

BR-319

Outro tema trazido pela ministra que relaciona bem o embate entre o meio ambiente e a economia, é a pavimentação da BR-319.

A reconstrução da estrada foi iniciada no governo Lula e passou pelo governo Dilma e Temer. Cerca de 400 quilômetros do trecho do meio foram tomados pela floresta e, para prosseguir a reabertura precisa de licença ambiental. O ex-presidente Bolsonaro prometeu repavimentar a estrada durante sua campanha, mas a autorização do Ibama para a reconstrução do trecho do meio tem sido criticada por ambientalistas.

Garimpo ilegal

O garimpo ilegal no Amazonas é uma atividade que está presente na região há décadas, causando graves problemas ambientais, sociais e econômicos.

Além dos danos ambientais, o garimpo ilegal também é responsável por diversos conflitos socioeconômicos na região, como a evasão de divisas, a exploração de trabalhadores em condições precárias e a intensificação da violência e criminalidade na região.

O combate ao garimpo ilegal é um desafio constante das autoridades e das organizações não governamentais que atuam na região. Medidas como a fiscalização e a repressão da atividade ilegal, a educação ambiental e o investimento em alternativas sustentáveis de produção são algumas das ações adotadas para tentar minimizar os impactos negativos do garimpo no Amazonas.

No entanto, é importante ressaltar que o combate ao garimpo ilegal deve ser realizado de forma consciente e responsável, sem prejudicar as comunidades tradicionais que dependem dessas atividades para sua subsistência. Somente assim será possível garantir a proteção do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável da região, sem comprometer a qualidade de vida das pessoas que dependem desses recursos naturais.

Mas, afinal, economia e Meio Ambiente consegue caminhar juntos?

Podemos concluir, com a infinidade de ajustes necessários, que um dos principais dilemas na política é conciliar as duas frentes e garantir um equilíbrio para um desenvolvimento mais justo e sustentável. É complexo mas, a economia e o meio ambiente precisam caminhar juntos.

Leia mais:
“Queremos dizer que fizemos a diferença com a Suframa”, diz Geraldo Alckmin
Pontos de garimpo ainda resistem na Terra Indígena Yanomami
Explicando: 5 etapas da demarcação de Terras Indígenas

Últimas Notícias

PC-AM prende mais duas pessoas por desvio de medicamentos em Manaus

Cerca de três meses depois da deflagração da primeira fase da Operação Corsário, a...

União Europeia fará doação de R$120 milhões ao Fundo Amazônia

Nesta segunda-feira (22), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a...

MEC divulga edital do ‘Enade das Licenciaturas’

O Ministério da Educação (MEC) oficializou procedimentos, regras e cronograma do primeiro Exame Nacional...

Manaus se destaca pela redução de perdas de água

Estudo do Instituto Trata Brasil revela queda de 26 pontos percentuais nos últimos anos Manaus...

Mais como este

PC-AM prende mais duas pessoas por desvio de medicamentos em Manaus

Cerca de três meses depois da deflagração da primeira fase da Operação Corsário, a...

União Europeia fará doação de R$120 milhões ao Fundo Amazônia

Nesta segunda-feira (22), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a...

MEC divulga edital do ‘Enade das Licenciaturas’

O Ministério da Educação (MEC) oficializou procedimentos, regras e cronograma do primeiro Exame Nacional...