domingo, março 3, 2024
26.3 C
Manaus
InícioGeralCulturaCenso contabiliza população quilombola, mas desafios persistem

Censo contabiliza população quilombola, mas desafios persistem

Publicado em

Publicidade

Dados do Censo 2022 revelam retrato inicial das comunidades quilombolas no país

Pela primeira vez na história, o Censo Demográfico, divulgado na última quinta-feira (27), incluiu informações sobre a população quilombola no Brasil. No entanto, de acordo com o geógrafo Rafael Sanzio dos Anjos, embora represente um primeiro retrato oficial dessas comunidades, os dados ainda não refletem toda a realidade.

Um levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou a existência de 1.327.802 quilombolas no país, o que corresponde a 0,65% da população total. Essa população está distribuída em 1.696 municípios. Entretanto, o pesquisador ressalta que em 2019, o IBGE já havia identificado 5.972 localidades quilombolas que seriam visitadas durante o Censo 2022, mas estima-se que existam mais de 6 mil comunidades no país.

Visibilidade para as Comunidades Quilombolas

Rafael destaca a importância desse levantamento censitário para dar visibilidade a essas populações, que historicamente foram invisibilizadas e excluídas da narrativa oficial. Mesmo com a presença dos quilombos no Brasil desde o século 16, apenas na Constituição Federal de 1988 a palavra “quilombo” foi mencionada. Esse registro de invisibilidade histórica torna o Censo de 2022 um marco fundamental para trazer à luz essa realidade.

Desafios e perspectivas futuras

O Censo Demográfico é essencial para subsidiar políticas públicas e decisões sobre investimentos do orçamento nacional. Apesar do adiamento devido à pandemia de COVID-19 e questões orçamentárias, essa edição do Censo trouxe o quesito que identifica os quilombolas pela primeira vez. No entanto, o geógrafo salienta que ainda há desafios a enfrentar, como a inclusão de todas as comunidades e territórios étnicos.

Esforços anteriores e novos horizontes

Rafael menciona que a academia tem se empenhado em mapear essas populações há algum tempo, e destaca o Projeto Geografia Afrobrasileira: Educação, Cartografia & Ordenamento do Território (Geoafro), que reúne pesquisadores de diversas instituições e conta com apoio governamental. O IBGE já demonstrava preocupação com o tema desde 2000, quando o Geoafro apresentou o primeiro cadastro de territórios quilombolas do Brasil.

Perspectivas para Políticas Públicas

Lideranças de comunidades quilombolas e organizações representativas esperam que os resultados do Censo impulsionem maior reconhecimento, garantia de direitos e acesso a políticas públicas. O geógrafo salienta que os dados oficiais do IBGE têm relevância dentro da governança do país, e é fundamental que isso se traduza em políticas mais assertivas para essas comunidades. Questões como a educação quilombola merecem atenção especial, pois são fundamentais para preservar a tradição, cultura e história desses territórios tradicionais.

Leia mais:
Violência sexual contra meninas indígenas no AM fica Impune
Maternidade na adolescência afeta mais jovens indígenas
Garimpeiros seguem prostituindo meninas Yanomamis

Com informações da Agência Brasil*

Siga nosso perfil no Instagram e curta nossa página no Facebook

Últimas Notícias

“Dia D”: prefeitura de Manaus promove combate a dengue

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), promoveu na manhã...

Paratleta do halterofilismo garante prata no mundial

Maria de Fátima, paratleta de halterofilismo, segue em busca da vaga nas Paraolimpíadas de...

Confira os shows da Casa Zezinho Corrêa nos dias 2 e 3

A Casa de Praia Zezinho Corrêa, vai receber, neste fim de semana, seis shows...

Entenda a diferença entre os sintomas de dengue e covid-19

Em meio a uma explosão de casos de dengue e o aumento de infecções...

Mais como este

“Dia D”: prefeitura de Manaus promove combate a dengue

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), promoveu na manhã...

Paratleta do halterofilismo garante prata no mundial

Maria de Fátima, paratleta de halterofilismo, segue em busca da vaga nas Paraolimpíadas de...

Confira os shows da Casa Zezinho Corrêa nos dias 2 e 3

A Casa de Praia Zezinho Corrêa, vai receber, neste fim de semana, seis shows...