quinta-feira, junho 20, 2024
27.3 C
Manaus
InícioAmazôniaManter ou não os benefícios da Zona Franca de Manaus?

Manter ou não os benefícios da Zona Franca de Manaus?

Publicado em

Publicidade

A Zona Franca de Manaus (ZFM) tem sido objeto de um acalorado debate no cenário político brasileiro. Enquanto alguns defendem a manutenção dos benefícios fiscais para impulsionar o desenvolvimento regional e proteger a economia local, outros argumentam que essas vantagens são desiguais e criam distorções no sistema tributário do país.

Benefícios da Zona Franca de Manaus

A ZFM foi criada em 1957 como uma estratégia para promover o desenvolvimento da região amazônica. Seus benefícios fiscais foram projetados para atrair investimentos e estimular a atividade econômica na área, impulsionando a industrialização e gerando empregos.

Entre os principais incentivos oferecidos estão a isenção de impostos de importação de matérias-primas e a redução da carga tributária sobre produtos fabricados na região.

Os defensores da manutenção desses benefícios argumentam que eles são essenciais para garantir a sustentabilidade econômica da região amazônica. A ZFM tem desempenhado um papel importante no crescimento da indústria local, especialmente nos setores de eletrônicos, eletrodomésticos, motocicletas, entre outros. Além disso, a zona franca tem sido responsável por gerar empregos e impulsionar o desenvolvimento social na região, contribuindo para a redução das desigualdades regionais.

Embasamento

De acordo com informações da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), a ZFM promove a harmonia entre a conservação ambiental na Amazônia e ações de desenvolvimento pode ser comprovada cientificamente por estudos como o livro “Impacto virtuoso do Polo Industrial de Manaus sobre a proteção da floresta amazônica: discurso ou fato?”.

No levantamento, feito nos anos de 2009 e 2010 por pesquisadores das universidades federais dos Estados do Amazonas e Pará, do Instituto Piatam e do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) avaliou-se o impacto do PIM na proteção da floresta em território amazonense em dois períodos distintos: até 1997 e entre 2000 a 2006, tendo como base os dados disponíveis sobre desmatamento no Estado.

O estudo apurou que, no período de 2000 a 2006, quando a base de dados sobre o desmatamento na região passou a ter continuidade e consistência, a pressão sobre a floresta amazônica diminuiu entre 70% e 77%, em razão, fundamentalmente, da existência do Polo Industrial de Manaus. Com isso, demonstrou-se cientificamente que o modelo ZFM contribui para diminuir a pressão sobre os recursos ambientais e evitar o desmatamento da floresta amazônica.

Quem ganha e quem perde?

Quando colocamos em uma mesma frase: Indústria e Amazônia, a conta não fecha. E é esse caminho tortuoso de mediação, que ano após ano é traçado e modificado nacionalmente. A discussão está longe de um consenso, mas quem perde e quem ganha nessa disputa afinal?

Críticas e Desafios

Existem críticas contundentes em relação à manutenção dos benefícios da ZFM. As vantagens fiscais são apontadas como vilãs, pois criam uma concorrência desleal com outras regiões do país, distorcendo o mercado e prejudicando a competitividade de empresas localizadas fora da zona franca.

Além disso, há preocupações com a renúncia fiscal significativa decorrente desses benefícios, o que impacta na arrecadação de impostos e pode comprometer o equilíbrio das contas públicas.

Outro ponto de discussão está relacionado à questão ambiental, claro. A ZFM está situada em uma região de grande importância ecológica, onde a preservação da Amazônia é crucial para o equilíbrio ambiental global.

Ambientalistas apontam que os benefícios fiscais da zona franca podem incentivar práticas industriais insustentáveis e impactar negativamente o meio ambiente.

O Caminho a Seguir

Diante desse debate complexo, é fundamental buscar um equilíbrio entre os interesses regionais e nacionais, levando em consideração as necessidades econômicas e ambientais do país. Uma abordagem inteligente precisa mediar as frentes, soltar amarras políticas e visar de fato o bem comum. O que até agora não se viu!

O que vemos é uma disputa de interesses bastante voltados para economia, tendo a floresta como pano de fundo quase invisível.

Se os detentores do poder não conseguem conviver em harmonia, tampouco conseguirão equilibrar dinheiro e meio ambiente. E o que fica é a perguntam que ninguém consegue responder: Manter ou não os benefícios da Zona Franca de Manaus?

Leia mais:
Câmara dos Deputados celebra os 56 anos da Zona Franca de Manaus
Wilson Lima diz que Amazonas não abre mão da Zona Franca
Governadores criticam benefícios fiscais na reforma tributária

Siga nosso perfil no Instagram e curta nossa página no Facebook

Últimas Notícias

AM é o 3º Estado que mais reduziu roubos de veículos em 2024

Redução significativa foi registrada entre janeiro e abril deste ano O Amazonas se destacou como...

Atletas do ‘Manaus Olímpica’ conquistam medalhas de Natação

Destaque para Pietra Menezes e Gabriel Castro em competição realizada em Salvador Entre os dias...

Pelo quarto ano seguido, AM é estado que mais investe em mestres e doutores

O Amazonas novamente liderou o ranking anual dos estados brasileiros que mais investem na...

Festa dos Visitantes: Como trocar os ingressos?

Ingressos limitados serão disponibilizados nos dias 25 e 27 de junho na Escola Estadual...

Mais como este

AM é o 3º Estado que mais reduziu roubos de veículos em 2024

Redução significativa foi registrada entre janeiro e abril deste ano O Amazonas se destacou como...

Atletas do ‘Manaus Olímpica’ conquistam medalhas de Natação

Destaque para Pietra Menezes e Gabriel Castro em competição realizada em Salvador Entre os dias...

Pelo quarto ano seguido, AM é estado que mais investe em mestres e doutores

O Amazonas novamente liderou o ranking anual dos estados brasileiros que mais investem na...