quarta-feira, julho 24, 2024
26.3 C
Manaus
InícioExplicandoExplicando: Informações do celular de Bolsonaro poderão ser usadas em outros inquéritos?

Explicando: Informações do celular de Bolsonaro poderão ser usadas em outros inquéritos?

Publicado em

Publicidade

Na manhã desta quarta-feira (03/05), o ex-presidente Jair Bolsonaro foi surpreendido por uma operação da Polícia Federal. Policiais cumpriram os mandados de busca e apreensão e prisão preventiva no âmbito do inquérito das “milícias digitais”, que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF). Entre os materiais apreendidos, está o celular de Bolsonaro.

Segundo comunicado da PF, a operação pretende “esclarecer a atuação de associação criminosa constituída para a prática dos crimes de inserção de dados falsos de vacinação contra a Covid-19 nos sistemas SI-PNI e RNDS do Ministério da Saúde”.

Mas este é apenas um dos inquéritos dos quais o ex-presidente pode responder. Essas provas podem ser usadas para investigar outros crimes?

A jurista e mestre em Direito Penal, Jaqueline Valles, explica que provas que vierem a ser encontradas no aparelho podem subsidiar investigações em andamento:

  • Quando é feito um mandado de busca e apreensão, ele delimita os objetos a serem apreendidos;
  • Se o material apreendido de forma legal conter indícios de outros crimes, eles podem ser usados em outras investigações;

“Se a Polícia Federal encontrar nesse celular informações que vinculem Bolsonaro a outros crimes investigados, a prova é válida, sim”, afirma a jurista.

Jaquelina explicou, ainda, que há um princípio no Direito que permite, ainda, usar provas obtidas nessa ação para iniciar outras investigações. 

Teoria da Serendipidade:

  • Aplicada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) na legalidade do encontro de provas de crimes diferentes aos que se investiga;
  • Comum nas interceptações telefônicas;

“A polícia está investigando, por exemplo, um crime de tráfico e descobre, por meio daquelas escutas, outros crimes. Segundo essa teoria, caso a polícia descubra novos crimes ao analisar o conteúdo do celular, isso também pode motivar a abertura de novos inquéritos policiais”, comenta Jacqueline.

Operação Venire

A Operação Venire investiga a suspeita de fraude em cartões de vacinação e prendeu preventivamente o tenente-coronel Mauro Cid; o PM Max Guilherme Machado de Moura; o capitão da reserva Sérgio Rocha Cordeiro; o coronel do Exército Marcelo Costa Câmara; o ex-major Ailton Gonçalves Moraes de Barros e o secretário municipal de Saúde de Duque de Caxias, João Carlos de Sousa Brecha, na manhã desta quarta-feira (03/05).

As inserções falsas, que ocorreram entre novembro de 2021 e dezembro de 2022, tiveram como consequência a alteração da verdade sobre fato juridicamente relevante, qual seja, a condição de imunizado contra a Covid-19 dos beneficiários.

Leia mais:
PF faz buscas na casa de Bolsonaro; Operação tem prisões e apreensões
Quem é Mauro Cid? Braço direito de Bolsonaro preso pela PF
Bolsonaro depõe à PF sobre ataques do 8 de janeiro

Últimas Notícias

PC-AM prende mais duas pessoas por desvio de medicamentos em Manaus

Cerca de três meses depois da deflagração da primeira fase da Operação Corsário, a...

União Europeia fará doação de R$120 milhões ao Fundo Amazônia

Nesta segunda-feira (22), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a...

MEC divulga edital do ‘Enade das Licenciaturas’

O Ministério da Educação (MEC) oficializou procedimentos, regras e cronograma do primeiro Exame Nacional...

Manaus se destaca pela redução de perdas de água

Estudo do Instituto Trata Brasil revela queda de 26 pontos percentuais nos últimos anos Manaus...

Mais como este

PC-AM prende mais duas pessoas por desvio de medicamentos em Manaus

Cerca de três meses depois da deflagração da primeira fase da Operação Corsário, a...

União Europeia fará doação de R$120 milhões ao Fundo Amazônia

Nesta segunda-feira (22), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a...

MEC divulga edital do ‘Enade das Licenciaturas’

O Ministério da Educação (MEC) oficializou procedimentos, regras e cronograma do primeiro Exame Nacional...