quarta-feira, julho 24, 2024
26.3 C
Manaus
InícioExplicandoExplicando: verdades e mentiras sobre o auxílio-reclusão

Explicando: verdades e mentiras sobre o auxílio-reclusão

Publicado em

Publicidade

Uma das maiores notícias falsas do início deste ano foi sobre o valor do benefício do auxílio-reclusão e quem tem direito a recebê-lo. As informações incorretas se propagaram por toda a internet e causaram confusão e revolta.

Para esclarecer dúvidas e mentiras acerca do assunto, a Gazeta da Amazônia entrevistou o advogado criminalista Hilcilei Carvalho Leite.

O que é o auxílio-reclusão?

É um benefício mensal destinado aos dependentes dos encarcerados em regime fechado. A família só tem direito ao auxílio se o detento tiver contribuído ao INSS nos últimos 24 meses e for de baixa renda. O benefício é pago pelo INSS.

Para ser considerado de baixa renda, o indivíduo, antes de entrar no sistema carcerário, tem que receber a remuneração máxima de R$ 1.754,18 enquanto estiver trabalhando e contribuindo com a previdência.

Foi este o número que causou a informação falsa, já que este valor foi confundido com o benefício que os dependentes receberiam de auxílio, e que ultrapassaria, então, o valor do salário mínimo no Brasil atualmente.

Qual o valor do auxílio-reclusão? 

O valor máximo do auxílio-reclusão é de um salário mínimo, que é de R$ 1.302 em 2023.

Quem pode receber o auxílio? 

  • Cônjuges (esposo ou esposa);
  • Companheiros(as) de união estável;
  • Filhos menores de 21 anos, inválidos ou com deficiências intelectuais;
  • Pais;
  • Irmão menores de 21 anos, inválidos ou com deficiências intelectuais.

Se os familiares do segurado recebem pensão, aposentadoria ou remuneração, mas ainda assim dependem financeiramente dele, eles têm direito a requisitar o auxílio-reclusão.

Por quanto tempo o auxílio-reclusão é pago? 

O tempo de pagamento não é igual ao período que o detento permanece em regime fechado. A lei 8.213/1991 estabelece esse prazo pela idade dos dependentes, seguindo os mesmos critérios da pensão por morte:

  • Se o dependente tem menos de 21 anos, o pagamento será feito durante três anos;
  • Se o dependente tem entre 21 e 26 anos, o pagamento será feito durante seis anos;
  • Se o dependente tem entre 27 e 29 anos, o pagamento será feito durante 10 anos;
  • Se o dependente tem entre 30 e 40 anos, o pagamento será feito durante 15 anos;
  • Se o dependente tem entre 41 e 43 anos, o pagamento será feito durante 20 anos;
  • Se o dependente tem 44 anos ou mais, o pagamento é vitalício.

A partir do momento que o segurado sai da prisão, o auxílio deixa de ser pago. No caso do detento progredir do regime fechado para o semiaberto ou o aberto, recebendo liberdade, o auxílio também é encerrado.

Qual a finalidade do benefício? 

Para o advogado Hilcilei, a finalidade do auxilio é a estabilidade econômica da família do sentenciado durante o período em que ele estiver recolhido.

Como é feita a fiscalização? 

O INSS solicita comprovação de que o detento está encarcerado e em regime fechado (ou semiaberto para os que foram presos até 17/01/2019). A instrução normativa 128/2022 do INSS estabelece que “deverá ser apresentado atestado ou declaração do estabelecimento prisional, ou ainda a certidão judicial” a cada 90 dias.

Como o auxílio-reclusão pode ser pedido?

De acordo com o INSS, pode ser requerido pelo site ou aplicativo do instituto. São necessários os seguintes documentos:

  • Documentos de identificação do detento e dos dependentes, como CPF;
  • Declaração de Cárcere;
  • Procuração com documentos do procurador, no caso de representante;
  • Documentos que comprovem o tempo de contribuição, quando solicitado;
  • Documentos de comprovação dos dependentes.

Apenas 3%

Segundo o INSS, em 2022 apenas 3% dos dependentes de detentos de regime fechado no país receberam o auxílio. Foram concedidos 19.875 auxílios. Atualmente, há 661.915 presos em celas no Brasil, de acordo com os dados mais recentes do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Leia mais:
Explicando: sigilo de 100 anos
Explicando: crimes pelos quais bolsonaristas radicais podem ser enquadrados
Explicando: as mudanças nas aposentadorias em 2023

Últimas Notícias

Operadoras são multadas por propaganda enganosa de ‘internet 5G’

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) aplicou multas às empresas de telefonia Oi, Vivo...

Feira de Produtos Regionais na 32ª Festa do Cupuaçu em Presidente Figueiredo

Feirantes podem solicitar financiamento pelo programa Mais Crédito Rural da Afeam O Governo do Amazonas,...

Wilson Lima anuncia R$ 12,9 milhões em investimentos para CT&I

Novos editais preveem apoio a 145 projetos de pesquisa na capital e interior do...

PC-AM prende mais duas pessoas por desvio de medicamentos em Manaus

Cerca de três meses depois da deflagração da primeira fase da Operação Corsário, a...

Mais como este

Operadoras são multadas por propaganda enganosa de ‘internet 5G’

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) aplicou multas às empresas de telefonia Oi, Vivo...

Feira de Produtos Regionais na 32ª Festa do Cupuaçu em Presidente Figueiredo

Feirantes podem solicitar financiamento pelo programa Mais Crédito Rural da Afeam O Governo do Amazonas,...

Wilson Lima anuncia R$ 12,9 milhões em investimentos para CT&I

Novos editais preveem apoio a 145 projetos de pesquisa na capital e interior do...